Um filtro

Um filtro serve para impedir que impurezas passem e venham a contaminar o que por ele está protegido, usamos filtros em quase todas as coisas das quais dependemos para viver, filtros servem para nos proporcionar uma melhor qualidade de vida, portanto a ausência deles diminui a eficácia de muitas coisas que fazem parte de nosso viver. Um dia um dos discípulos de Sócrates veio ter com ele, o rapaz estava esbaforido, tenso e ofegante. Dirigiu-se ao seu mestre dizendo que desejava lhe dizer algo sobre um grande amigo dele.

Sócrates pediu que o rapaz se acalmasse e lhe fez tres perguntas: O que você vai dizer sobre o meu amigo é verdade? O rapaz respondeu: – não tenho certeza, ouvi alguém dizendo e logo vim lhe contar! O que você vai meu dizer sobre o meu amigo é algo que eu vou ficar feliz em ouvir? O rapaz respondeu: – não, o senhor vai ficar muito triste quando eu lhe contar! O que você vai-me dizer sobre o meu amigo vai me edificar, é edificante? O rapaz respondeu- não, o senhor não vai ser edificado com o que vou lhe dizer!

Então Sócrates disse ao rapaz: o que você vai-me dizer sobre meu amigo não é verdade, você não tem certeza, não vou ficar feliz em ouvir, em saber e não é edificante, não serei edificado em saber, e por que você quer me contar isto? Estes três filtros de Sócrates podem nos ajudar muito quando alguém quer nos contar algo, pois algumas novidades que as pessoas têm pressa em nos contar sempre trazem algo de veneno em sua consistência, e não vai nos fazer bem ficar sabendo. Estes três filtros podem ser usados por nós quando desejarmos contar algo a alguém, pois evitará que sejamos indelicados e fofoqueiros e possamos causar danos morais , emocionais e irreparáveis na vida de quem nos ouve.

O ser humano é ávido por ser portador de novidades, quando falta assunto ele logo procura, e neste procurar sempre está transmitindo coisas que não tem certeza, que as pessoas não gostarão de ouvir e que não trazem em si nada de edificação. Tiago trabalha o capítulo três de sua carta orientando sobre o poder da língua como instrumento da fala. Jesus disse que de toda palavra frívola que dissermos daremos conta diante do trono de Deus.

Paulo alerta sobre o perigo e a inconveniência da palavra torpe que não deve sair da boca de um servo de Deus. Por que tantos alertas? Você já percebeu quanto mal é disseminado pelo falar? Quantas inimizades, separações, brigas e até mortes são causadas apenas porque não se toma cuidado com as palavras o que saem de nossa boca? Se não temos o que falar é melhor ficarmos calados, pesar bem as palavras antes que elas saiam de nossa boca é sabedoria pois três coisas não voltam mais após serem liberadas: Palavra falada, frecha dispara e oportunidade perdida! Felizes são os que ouvem mais e falam menos, pois também esta é uma norma das Escrituras Sagradas para o bem viver do homem segundo a vontade de Deus, o mesmo Tiago no cap. 1:19 de sua carta diz que devemos ser pronto para ouvir, tardios para falar, tardios para irar!

Meus irmãos, aprendamos a aplicar os três filtros de Sócrates em tudo o que nos vierem a contar e em tudo o que desejarmos contar as pessoas, se alguém vai ser ferido pela peçonha mortal liberada pela língua, que não seja pela nossa boca, pois segundo Tiago no cap. 3 de sua carta a língua dos insensatos é inflamada pelo inferno, dando a entender quem controla a língua de quem fala o que vem na mente! “o fruto da boca o homem comerá o bem, mas o desejo dos pérfidos é a violência. O que guarda a boca conserva a sua alma, mas o que muito abre os lábios a si mesmo se arruína.” Pv. 13:2, 3.

 

Pr. José Claudio Fonseca

Quer outro idioma?