Qual é o desejo de teu coração?

Qual é o desejo de teu coração? O que mais você deseja que aconteça e tua vida? É uma boa pergunta para refletirmos neste dia, o que temos colocado diante de Deus como sendo o desejo de nosso coração? Temos várias referências nas Escrituras que nos incentivam a clarear esta busca, pois inúmeros trechos apontam para o fato de que é só colocarmos diante de Deus e pronto, vai acontecer.

Mas de tudo o que temos colocado o que tem acontecido? Temos colocado muitas coisas e destas muito pouco tem se realizado, em alguns casos, quase nada. Temos passado os olhos sobre textos do tipo Sl. 37: 4b – “E ele satisfará os desejos de teu coração, Mt. 21:22- “ E tudo o que pedirdes em oração recebereis”, Jo.14:3- “ E tudo o que pedirdes em meu nome eu o farei”.

As promessas estão ali, por que elas não se cumprem em minha vida, em nossa vida? Será que você está vivendo esta situação? Já viveu? Será que em sua mente e coração reside um “q” de dúvida por não entender o por que as coisas não acontecem como diz ali? Bem, muitos vivem este dilema, não conseguem ver o que certas passagens das Escrituras dizem, se cumprir em suas vidas, e isto lhes causa tristeza, desânimo e até revolta!

Algumas soluções posso propor neste dia que talvez possam ajudar a encontrar as respostas: 1- ao ler um verso que contem uma promessa, procure ler tudo o que cerca o verso, o seu contexto imediato, tanto o anterior como o posterior. 2- leia todo o verso pausadamente prestando atenção em todos os detalhes nele contidos, você vai perceber que em cada promessa tem uma condição atrelada. Neste caso, não cumprindo a condição a promessa perde o sentido e não tem valor. 3- o desejo, qual o desejo que temos em nosso coração que queremos que seja satisfeito por Deus? Sobre o que repousa nosso desejo? O que realmente queremos ao receber a benção que estamos pedindo? São boas questões para levarmos em consideração quando orarmos ao Senhor. Nossos desejos realmente são necessidades? Estamos realmente precisando do que estamos pedindo? Nossos pedidos visam a glória de Deus ou a nossa própria glória?

Quer dizer, estamos pedindo para que o Senhor seja glorificado em nossas vidas ou para mostrarmos as pessoas ao nosso redor que somos atendidos quando oramos? Eu sempre digo que as Escrituras respondem todas as nossas questões, e desejos escusos no coração não é característica apenas desta geração, uma prova disto é que Tiago traz uma resposta as pessoas que como muitos de nós também ficavam chateadas porque oravam mas não obtinham da parte de Deus as respostas que desejavam. Antes de irmos ao que Tiago diz, é bom também lembrar que Deus responde segundo a Sua vontade, não segundo a nossa vontade, e esta vontade de Deus repousa sobre o fato de Ele analisar os desejos de nosso coração antes de nos oferecer a resposta para a nossa oração.

Trocando em miúdos, mesmo que cumpramos as condições atreladas a promessa, ainda assim Deus se reserva ao direito de atender ou não, será que foi por isto que o profeta Jeremias disse em Lm 3:29 que devemos por a rosto no pó, quem sabe há esperança?( king James version). Agora vamos ao que Tiago diz sobre as respostas não recebidas. Ele afirma no cap.4 a razão de nossas orações não serem atendidas, são só 17 versos que contam toda a nossa história de arrogância, ganância, prepotência, irreverência, fica claro que com estes elementos podemos orar até esgotar nossas forças que jamais obteremos a resposta de Deus.

No mesmo texto Ele diz que “Deus dá graça aos humildes, mas resiste aos soberbos”. Sendo assim, posso lhes garantir que Ele acaba de responder uma de nossas orações, por que não temos alcançado as respostas de nossas orações, porque elas têm sido feitas de modo errado, pelas motivações erradas, ao deus errado. Pois quem legisla sobre arrogância, irreverência, prepotência, ganância e orgulho é outro deus, não o Deus Todo Poderoso que criou os céus e a terra! “Cobiçais e nada tendes; matais, e invejais, e nada podeis obter; viveis a lutar e a fazer guerras. Nada tendes, porque não pedis; pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres.” Tg. 4:2, 3.

Pr. José Claudio Fonseca
igreja@icecantodomar.com.br

Deixe uma resposta

Quer outro idioma?