Arrependimento

Estamos nestes últimos domingos tratando algo de cunho pessoal, e que em muitos casos é o fato de não alcançarmos de Deus o favor que tanto buscamos. Já falamos sobre o ato de confessar nossos pecados, tanto à Deus como aos nossos semelhantes. Ontem tratamos sobre a base da confissão genuína que é o arrependimento, e de suas diferenças quanto ao remorso. Remorso em alguns casos tem sido confundido com arrependimento. Arrependimento na língua que foi usada para escrever o Novo Testamento é “Μετανοια” metanóia, que quer dizer mudar o estado de pensamento, mudar de atitude. Já remorso tem a sua base no latim, particípio passado de “remordere” que tem como significado remorder, morder de novo, satirizar, atormentar. Três foram as diferenças levantadas entre os dois sentimentos:
 
1- Diferentes em relação à Deus e ao indivíduo- ou seja temos de entender que o primeiro que foi ofendido foi Deus, antes de termos ofendido o indivíduo. Mas sempre nos preocupamos mais com o indivíduo do que com Deus, queremos imediatamente limpar a barra com o homem, vimos que quando tememos mais o homem do que Deus, tornamo-nos escravos em suas mãos.
 
2- Diferentes em relação ao pecado e ao indivíduo- com remorso lamentamos o que fizemos, nós diminuímos, usamos sempre frases já construídas para sensibilizar as pessoas as quais falhamos com elas, num ato de insensatez fazemos isto com Deus como se Ele não soubesse a intenção de nosso coração. Ao passo que arrependidos, dizemos à Deus exatamente o que fizemos e o que vai em nosso coração, Ele sabe, mas deseja que falemos pois isto demonstra humildade perante Ele.
 
3- Diferentes em relação aos outros e o indivíduo-  o remorso leva a auto justificação, a autopunição, parece que tudo ficou bem, mas ao primeiro sinal de conflito, fazemos tudo de novo e sempre com um adendo a mais no pecado que cometemos. Arrependidos, toda a ação do “eu” é deixada de lado, reconhecemos nossa insuficiência não diante do homens, mas diante de Deus que nos ama, que nos ajuda, que nos levanta.
 
Honoré de Balzac afirmou que “O remorso é uma impotência, ele voltará a cometer o mesmo pecado. Apenas o arrependimento é uma força que põe termo a tudo.” Honoré de Balzac. Isto quer dizer que o arrependimento encerra o processo, termina com o pecado pois ele faz com que a graça e misericórdia de Deus seja derramada sobre quem laça mão Dele. “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, de sorte que venham os tempos de refrigério, da presença do Senhor,” At. 3:19.
 
Pr. José Claudio Fonseca
E-mail: igreja@icecantodomar.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »