Resultado por: Meditações

O problema não está no “problema”

O problema não está no “problema”, mas em como lidamos com ele, sempre foi assim, sempre será assim. Observe uma pedra, uma pessoa distraída geralmente tropeça nela, uma pessoa violenta usa ela como arma, já uma pessoa inteligente usa a pedra como material de construção por ser forte e resistente. Um trabalhador braçal quando a encontra usa ela como assento para descansar do pesado trabalho que faz, crianças usam ela como brinquedo.

Uma pedra foi usada por Davi para matar um gigante, um escultor dela faz uma bela escultura que é admirada por todos! Observe que em todos este casos, a diferença não está na pedra, nem em seu tamanho ou consistência, mas em como as pessoas usaram ela. Alguns ao verem uma pedra em seu caminho, logo já desistem da jornada, dos planos, dos objetivos, outros usam esta pedra como algo que pode lhes ensinar alguma coisa, e ao transpô-la, tornam-se mais fortes do que antes.

Não há pedra em seu caminho que você não possa aproveitá-la para o seu próprio crescimento tanto moral, físico, como espiritual. Depende de como você encara os desafios que se apresentam diante de você, cada momento que passa, cada situação vivida são gotas de graça enviadas por Deus que jamais voltarão, outras virão, mas não serão iguais.

Tire proveito de todas as situações que se apresentarem em teu caminho, mesmo daquelas que não te forem assim tão doces, pois em cada uma delas Deus estará te ensinando, moldando, preparando para que possas ser um vencedor. A palavra vitória (νίκη, νικος) Niké, Nikós, = vitória, muito usada em nossos dias, virou jargão, virou palavra de ordem nas igrejas, mas é bom entender que o seu sentido original sempre aponta para algo que vem depois, ou seja, primeiro a luta, primeiro a pedra no caminho, transpondo ela vem a vitória! Paulo escreve aos Romanos no Cap.8:28 que tudo o que acontece com o cristão tem da parte de Deus um objetivo, um sentido específico!

Estamos em tempos de comemoração do aniversário da Reforma Protestante, uma pessoa reformada, entende tudo o que lhe acontece, e o que não entende, coloca diante de Deus e Dele vem a resposta, resposta recebida: coração tranquilo, mente alinhada com a vontade de Deus, vida derramada em Sua Presença! “Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações, sabendo que a aprovação da vossa fé produz a perseverança; e a perseverança tenha a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, não faltando em coisa alguma.” Tg.1:2-4.

Pr. José Claudio Fonseca

A palavra Bíblia

A palavra Bíblia vem do termo grego “Biblos” que tem o significado de “rolo” ou “livro” não necessariamente está relacionada a algo santo ou sagrado. Uma de suas declinações na língua grega é “ Biblion” que significa coleção de livros pequenos, as Escrituras Sagradas tomaram este sentido, por isto são chamadas de Bíblia. Eu acredito que algumas das que se chamam “igreja” do Senhor em nosso tempo, as que estamos acostumados a ver em cada esquina, em salões, galpões, cinemas, algumas fruto de divisões, encrencas ,confusões, outras, frutos de um belo trabalho de marketing , precisam de uma outra Bíblia, esta que contém as Escrituras Sagradas não cabe em seus valores, em suas práticas, pois em cada página ela refuta as práticas que hoje dominam os cultos e reuniões dentro destes locais.

As Escrituras combatem a feitiçaria, a idolatria, o misticismo, elas combatem a escravidão e o medo, combatem o homem dominando o homem, é um fato determinante que um ou outro destes elementos fazem parte da liturgia destas que se autodenominam “igreja”. Antes que haja uma má compreensão do que estou dizendo, é bom deixar claro que o local onde as pessoas se reúnem, se grande ou pequeno não é importante, é irrelevante, importante é o que se faz neste local em Nome do Senhor.

As Escrituras combatem a associação com o mundo, deixando claro que amizade com o mundo é inimizade com Deus em Tiago 4:4, porém é comum estas organizações trazerem o mundo com tudo o que ele oferece para dentro de seus átrios, com a justificativa de que a igreja precisa se contextualizar. Isto é verdade, contextualização faz parte, mas de costumes, jamais dos princípios inalteráveis revelados pelo Espirito de Deus em sua Santa Palavra!

As Escrituras apontam unicamente para Deus como Soberano de toda a terra, estas igrejas criam e mantem pequenos deuses nas figuras de pastores, pastoras, profetas, missionários, cantores e a lista vai longe, eles se tornam os ídolos dos que supostamente seguem à Deus nestes locais.

As Escrituras combatem o orgulho, a exaltação, a prepotência na vida do homem, porém estes elementos fazem parte da vida de muitos que assistem nestes locais, ensinam e incentivam seus adeptos a praticarem e serem exatamente estas coisas.

É necessário a produção de uma nova Bíblia, esta que temos hoje como Palavra do Senhor não atende aos anseios dos novos crentes, crentes mesmo, não seguidores de Cristo! Pois o Espirito Santo que inspirou as Escrituras Sagradas, aponta para a humildade como princípio básico para a vida cristã, humildade nas orações, nos pedidos, nos clamores, respeitando a vontade de Deus acima de tudo, esperando Nele, entendendo Ele, glorificando e adorando Ele mesmo que a resposta Dele ao pedido seja um não.

É compreensível que esta geração do “eu declaro, eu ordeno, eu profetizo, não consiga se adequar ao que as Escrituras Sagradas dizem em suas páginas. Porém é bom deixar claro que a produção de uma outra Bíblia só esbarra num princípio eterno e inalterável: no princípio da inspiração, a Palavra de Deus já foi inspirada pelo Espírito Santo de Deus uma única vez e não será mais! Além do que, esta produção de uma nova Bíblia com as alterações necessárias para agradar a nova igreja, a geração moderna de adoradores repousa sobre uma palavra significativa que Paulo disse aos Gálatas: Anátema, que tem o significado de maldito, amaldiçoado! Sendo produzida cem por cento pelo homem, não tem a aprovação de Deus, e se não tem a aprovação de Deus não presta, é maldita e amaldiçoada mesmo! “Estou admirado de que tão depressa estejais desertando daquele que vos chamou na graça de Cristo, para outro evangelho, o qual não é outro; senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo.

Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregasse outro evangelho além do que já vos pregamos, seja anátema.Gl. 1:6-8.

 

Pr. José Claudio Fonseca

Água e óleo não se misturam

Água e óleo não se misturam, são compostos opostos, tem moléculas que não se combinam, portanto sempre quando misturadas, podem ser vistas separadas. A vida é um misto de sentimentos e situações que embora estejam juntas, algumas delas jamais se misturam, sempre estarão presentes lado a lado. Um bom exemplo é a tristeza e a alegria, elas podem estar presentes em um mesmo coração ao mesmo tempo, porém cada uma delas fazendo o seu papel, trazendo suas consequências.

Nos regozijamos por alguém que amamos ter entendido o que Jesus fez, e por graça ter sido alcançado pela misericórdia do Senhor, estar vivendo com Ele, temendo Ele, porém ficamos sem chão quando Ele em Sua Soberania resolve levar estas pessoas para junto de si! Meus queridos irmãos e amigos, é direito Dele, Ele as comprou com o seu precioso sangue, pagou por elas com a Sua vida na cruz. Sabemos disto, pregamos isto, ensinamos isto, até que esta situação aconteça conosco, com alguém que gostamos, que amamos, neste caso como muitos ,não entendemos, não concordamos, e em nossa incompreensão perguntamos à Ele, Por que?

As Escrituras dizem que foi para isto que Ele veio, resgatar, salvar, aproximar o homem de Seu Criador, embora alguns amem tanto esta terra, esta vida, é bom e sábio entender que Deus não enviou Seu filho Jesus para que perpetuasse a vida do homem nesta terra que se deteriorou por causa do pecado, Ele tem algo melhor, muito melhor preparado para quem é alcançado por Sua Palavra Paulo diz isto em 1ª Cor. 2:9,10, o mesmo Apóstolo Paulo afirma que estar com o Senhor é muito melhor em Fil 1:21-23, porque determina vitória, fim de carreira, aprovação, resultado satisfatório!

Felizes são os que terminam seus dias na terra desta forma, pois quando seus olhos se fecham neste mundo, se abrem no verdadeiro mundo, o que não termina, o eterno, o mundo que o apóstolo Paulo diz ser tão excelente que o homem comum em seu estado de carne não tem condições de entender o seu significado e nem esta está preparado para entender a sua grandeza.

Mesmo com todas estas informações não entendemos, não concordamos, não queremos que eles se partam, é normal, são pessoas que amamos, são em algumas situações nosso sangue, nossa metade, e ficamos incompletos quando Deus os leva para si. E munidos de egoísmo em alguns casos preferimos ter a pessoa como um vegetal sobre uma cama, do que vê-la partir e saber que ela descansa de suas lutas na presença do Senhor.

Quando Jesus estava para partir, disse aos seus que não os deixaria órfãos, Ele deixou o seu Espirito Santo, companheiro, amoroso, consolador, Ele faz o papel de alentar o nosso coração, confortar a nossa alma, ajudar a conviver com a tristeza da perda, nos mostrando a alegria do ganho, do ganho que nossos amados tiveram, a alegria de saber que a pessoa querida, repousa de suas lutas e batalhas nos Braços do que Vive e Reina para sempre, do Único, do Eterno, do Supremo Pastor. Este é o papel primordial do Espírito Santo, confortar os corações enlutados com a esperança de que um dia se eles forem fiéis e permanecerem firmes, reencontrarão seus entes queridos na presença do Senhor.

Queridos, ainda estamos aqui, ainda temos que caminhar, para nós a jornada não terminou, continua, e precisa ser alinhada com a Vontade do Senhor para que possamos a exemplo de nossos queridos que já partiram alcançar o prêmio da eterna esperança. Que Deus, o Senhor da vida possa confortar aqueles que hoje choram, nutrindo em seus corações esperança da vida que nunca termina. “Preciosa é à vista do Senhor a morte dos seus santos.” Sl. 116:15. Pr.

José Claudio Fonseca.
igreja@icecantodomar.com.br

 

Translate »