Você já pensou no Nome de Deus?

Você já pensou no Nome de Deus? Nos vários nomes que Ele tem? Pode ser que sim, pode ser que Ler mais »

O que ouvimos nos afeta

É interessante como o que ouvimos nos afeta, e o inimigo ou os inimigos sabem disto, temos nestes últimos dias Ler mais »

Tempos difíceis em nosso País

Você assim como eu, sabe que temos vivido tempos muitos difíceis em nosso País, a Nação brasileira está caminhando por Ler mais »

Deus: o primeiro nome a ser dito

Deus: o primeiro nome a ser dito diante de uma situação difícil, até mesmo o ateu que diz não acreditar Ler mais »

Homenagem

No último dia 16 (sexta), o pastor José Cláudio Fonseca recebeu título de Cidadão Sebastianense, uma homenagem pelos serviços prestados Ler mais »

A palavra Bíblia

A palavra Bíblia vem do termo grego “Biblos” que tem o significado de “rolo” ou “livro” não necessariamente está relacionada Ler mais »

Água e óleo não se misturam

Água e óleo não se misturam, são compostos opostos, tem moléculas que não se combinam, portanto sempre quando misturadas, podem Ler mais »

Jamais amaldiçoe alguém

Jamais amaldiçoe alguém, por mais ruim que esta pessoa seja, por mais que ela tenha lhe chateado ou mesmo causado Ler mais »

A vida é curta?

É comum ouvirmos das pessoas a frase “a vida é curta”, mas creio eu que de todos os que dizem Ler mais »

 

Os planos de Deus não podem ser frustrados

Os planos de Deus não podem ser frustrados, o que Ele determina acontece e não depende de circunstancias, ninguém pode ajudar a acontecer nem impedir que aconteça. Relatos Bíblicos são expostos e ensinados as vezes dando muita ênfase nos detalhes deixando de lado o princípio nele contido.

As Escrituras falam de uma refeição que sem dúvida foi a mais cara em toda a história, pois custou o poder e direito de reinar. Esta refeição está implícita na história de Esaú e Jacó, e não pense que nela estava envolvida alguma das especiarias mais caras que hoje conhecemos e que seja servido em restaurantes dos mais finos desta terra.

Esta refeição tinha como cardápio um simples prato com um cozido de lentilhas, será que foi dai que surgiu o costume de se comer lentilhas por ocasião da entrada de um novo ano? Pode ser, o homem vive a caça de coisas místicas para com isto alimentar o seu ego recheado de ganancia! Mas o fato narrado nas Escrituras gira entre dois irmãos, um exímio caçador, homem da terra, destemido, e o outro homem pacato, de casa. O primeiro chega de sua lida faminto, o segundo em casa dedica-se um saboroso jantar regado a lentilhas.

Esaú pede que Jacó lhe de um pouco deste cozido, Jacó lhe oferece, mas com uma condição, que Esaú abra mão de seu direito de primogenitura, o que para aqueles povos era algo inegociável, o primogênito herdava a benção como direito único e irrevogável. Prega-se, e ensina- se, faz-se representações desta cena , em sua maioria girando sobre a insensatez de Esaú que esbaforido e consumido por fome, abre mão de um direito que é unicamente dele.

É, tem sua lógica, na verdade pode-se tirar dai um bom princípio para viver, não tomar decisões sob pressão, com a cabeça quente, com pressa, a decisão tomada desta forma pode selar o destino de quem a tomou! Porém há algo muito maior envolvido nesta história que muitos professores de EBD deixam de lado, assim como muito pregadores, ou seriam preletores, bem , creio que preletores fica melhor, pois pregador dificilmente deixa de pregar todo o conselho de Deus, ou mesmo romantiza o texto Sagrado para com isto ganhar fama e aplausos.

O que realmente norteia esta passagem, esta história de Esaú e Jacó, é a soberania de Deus, o desejo soberano de Deus já revelado, um detalhe pequeno que aparece quando os dois irmãos ainda estão no ventre de sua mãe, uma Palavra dita por Deus em Gen. 25:23, quando Rebeca orou ao Senhor pois sofria muito com as lutas dos gêmeos em seu ventre. Deus disse que, duas Nações havia em seu ventre e que o maior serviria o menor! Já estava determinado, Esaú serviria Jacó de qualquer maneira, se Ele tivesse ou não vendido sua primogenitura, Jacó seria maior que Esaú de um jeito ou de outro! De Jacó formou-se o povo de Israel, de Esaú, o povo de Edom que foi forte por um tempo e depois desapareceu.

Temos dificuldade de lidar com esta soberania de Deus, mas o que Ele determina vai acontecer, e não depende de nós tomarmos esta ou aquela atitude, seus desígnios não podem ser frustrado, pois Ele é Deus. Por isto Paulo aconselha aos Efésios no cap. 5: 17 de sua carta que o homem deve ser sábio e não insensato, buscando saber qual a vontade do Senhor para sua vida, pois aquilo que Deus planejou ainda que o homem lute contra, vai acontecer! Precisamos ser mais minuciosos quanto as Escrituras, buscando em Deus o princípio incutido em cada exemplo dado nas Escrituras, pois Deus não é contador de histórias, o homem é Ele sempre revela sua vontade por meio das vidas e histórias narradas em Sua Palavra. Quando formos ensinar ou ler estas narrativas, devemos pedir ao Espírito Santo para nos iluminar dentro do que foi revelado, para não suceder que nos prendamos nos costume e desprezemos o ensino! “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor. “ Ef. 5:16,17.

Pr. José Claudio Fonseca.

Jesus tem desaparecido de algumas mentes e corações

Ao que me parece a razão pela qual Jesus veio ao mundo tem desaparecido de algumas mentes e corações, em outras me parece que ela não satisfaz mais o desejo destas almas. Digo isto porque a pregação do evangelho hoje está recheada de artifícios que as Escrituras não apontam nem autorizam. Examinando as cartas de Paulo, e o livro dos Atos dos apóstolos não consegui encontrar as fantasias que se pregam e ensinam hoje.

As pessoas eram constrangidas pela Palavra que ouviam, esta Palavra fazia com que elas se rendessem ao Senhor pelo sentimento de miséria que conseguiam ver dentro de si mesmas, hoje esta mesma Palavra parece não ter mais o mesmo poder, ela precisa ser recheada de novidades que apontem para a alegria e o prazer neste mundo! John Macarthur aponta para este fato de uma forma mais sucinta no livro “ O Evangelho segundo Paulo – Ed. Thomas Nelson Brasil”, Neste livro quando fala sobre a obra de Cristo no cap. “A Grande Troca” ele diz algo que sempre pensei,: “ os evangélicos atuais falam do evangelho como se fosse um meio de descobrir o propósito da vida, a mensagem sobre como ter uma vida feliz e próspera ou o método para alcançar sucesso financeiro e nos negócios, para muitos o melhor ponto de partida para anunciar o evangelho é “ Deus te ama e tem um plano maravilhoso para a tua vida” ele afirma que os preletores transformam o evangelho em uma mensagem sobre “ você” a sua vida, o seu propósito, a sua prosperidade.

Você se torna o centro e o assunto da história. Sempre digo que algumas das igrejas atuais preparam seu povo para viver um vida eterna aqui, pois todo o investimento é direcionado para o momento para o sucesso, para os planos, para a felicidade plena nesta terra. Um querido irmão me disse certa feita que “ o homem não quer a vida eterna, mas eternizar a vida nesta terra”. É engraçado que alguns preletores combatem uma certa seita que prega a felicidade nesta terra, quando eles fazem o mesmo!

O assunto do evangelho não mudou, o homem o mudou, o foco da vinda de Cristo ao mundo não mudou, os homens mudaram este foco. Jesus veio salvar e resgatar o que se havia perdido, pagar a dívida que o homem tinha com Deus. Pois segundo Paulo afirma, o homem sem Deus está em uma situação de depravação total, destituído da presença de Deus plenamente imerso no pecado. Como alguém nesta situação pode preocupar-se com sucesso, felicidade,etc? Somente quem não entendeu o propósito da vinda do Senhor, somente quem não tem esperança futura, quem não acredita que Jesus vai voltar para buscar a sua herança. O padrão para a vida do homem sempre foi “ o necessário para viver” como Paulo afirma em 1 Tm. 6:8, mas o homem não quer o necessário, e apelando para a ganância e a ostentação no coração, adultera a Palavra fazendo ela dizer o que não diz e com isto arrebanha multidões com mentiras e promessas infundadas.

Jesus levou sobre si toda a miséria que pesava sobre o homem, o fedor horrível do pecado desceu sobre Jesus na cruz , o cordeiro foi sacrificado derramando seu sangue puro, não para que o homem fosse plenamente feliz nesta terra, mas para que o homem fosse reconciliado com Deus, quem deveria estar naquela cruz era o homem, digno de morte, mas Jesus o substituiu e agora todos os que entendem isto tem paz com Deus. Voltemos ao evangelho, deixemos as fábulas e fantasias, em breve Jesus vem para resgatar a sua herança. Agradeça a Deus pelo que Ele tem de concedido, entenda que o seu futuro não é aqui, e quando o Senhor te resgatar jamais você se lembrará desta terra e da futilidade que ela poderia lhe dar.

O que Deus tem preparado para os que o amam, e o servem é muito melhor! “De fato, grande fonte de lucro é a piedade com o contentamento. Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele. Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes. Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição. “ 1ª Tm.6:6-9.

Pr. José Claudio Fonseca.

Você já perdeu a razão em uma discussão?

Você já perdeu a razão em uma discussão? Já perdeu as estribeiras em uma conversa mais acalorada com alguém, ou mesmo com um membro de sua própria família? Acredito que a resposta seja sim, todos nós uma ou outra vez já fizemos isto, e não estamos isentos de fazer de novo. Isto prova que somos humanos, de carne e osso, isto prova a nossa fraqueza que as vezes mostra-se mais forte do que nossa consistência espiritual.

Também prova o quanto somos dependentes de Deus e Sua misericórdia. Porém quando perdemos a razão não é bom, e não há justificativas plausíveis quando fazemos isto, pois isto também demonstra o que vai em nosso coração, a pecaminosidade que domina ele! O coração aqui não é o órgão propriamente dito, mas representa a sede de nossos sentimentos tanto bons quanto ruins. Em Fil.4:7 , Paulo diz que .. “E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus”, quando perdemos a razão em uma discussão devemos pensar : o que aconteceu com esta paz de Deus em nosso coração?

Esta paz que Paulo cita aos Filipenses , na verdade é tranquilidade em meio ao calor da guerra! Ou seja , mesmo em meio ao calor de um pleito, devemos manter a calma e tranquilidade. Há algo que precisamos entender e aceitar, quando uma pessoa tenta nos tirar do sério, ela é instrumento do maligno para nos fazer envergonhar o Nome do Senhor, por outro lado infelizmente há situações em que nós estamos fora de direção, em que nós somos quem tira as pessoas do sério, em que somos nós que perdemos a linha na hora de tratar uma ou outra situação com alguém! Nestas horas é certo que queremos demonstrar alguma segurança, posição ou mesmo demostrar autoridade, mostrar que somos os tais.

Este desequilíbrio de comportamento em nossa vida tem uma razão: estamos lendo a Bíblia, não meditando nela, a falta de meditação na Palavra de Deus e a falta de uma conversa íntima com Ele (oração) é a causa deste comportamento apresentar-se com mais ou menos frequência em nossa vida! Quando estamos em sintonia com Deus, nosso “eu” fica patente, a Palavra de Deus trata as áreas mais recônditas de nosso ser, o Espírito Santo controla nossas emoções por meio de uma característica de Seu fruto : o domínio próprio, e tudo fica bem. Você já deve ter visto imagens de um vulcão entrando em erupção, pois é, isto se dá pelo acúmulo de pressão no seu interior, fruto do aquecimento elevado dos materiais incandescentes ali presentes, que quando em alta temperatura gera uma pressão tal que excede a normalidade, então ele explode.

Quando isto acontece todos nós sabemos o estrago que esta erupção causa quando a lava quente é expelida destruindo tudo em seu caminho, assim somos nós quando explodimos, as coisas vão esquentando dentro de nós, ou já estão pré-aquecidas ou até a ponto de explodir, em vez de expormos tudo isto diante de Deus, as vezes expomos diante dos homens, são situações não tratadas, raiva acumulada e quando atinge um nível insuportável, explodimos, falamos o que não devemos a quem não deveríamos, causando estragos que serão muito difíceis de serem consertados.

Por isto a prática da oração e da meditação na Palavra de Deus é importante para amenizar este sentimento em nosso coração, evitando que cheguemos ao extremo de perdemos a razão em uma discussão, em uma conversa mais acalorada, a posição que Deus nos deu, faz de nós alguém a ser observado, uma vitrine, alguém que tem muita responsabilidade diante de um mundo caído e sem esperança, o que estamos fazendo quando perdemos o equilíbrio?. Nós nos esquecemos disto, o diabo não! Lembre-se que: palavra falada, flecha disparada e oportunidade perdida não voltam mais!

Portanto tenhamos muito cuidado para que o sol não se ponha sobre a nossa ira e venhamos a dar lugar ao ladrão que só tem três objetivos em nossa vida. Matar, roubar e destruir. Antes de tratar qualquer situação aprendamos a orar, pedir que Deus vá a nossa frente, que Ele controle nossas emoções por meio de Seu Espírito, que Ele ponha guarda em nossa boca para não blasfemarmos contra o bom Nome Dele como pediu Davi no Salmo 141:3. “Sabei que o Senhor separou para si aquele que é piedoso; o Senhor me ouve quando eu clamo a ele. Irai-vos e não pequeis; consultai com o vosso coração em vosso leito, e calai-vos. Oferecei sacrifícios de justiça, e confiai no Senhor. Muitos dizem: Quem nos mostrará o bem? Levanta, Senhor, sobre nós a luz do teu rosto.” Sl. 4:3-6.

Pr. José Claudio Fonseca.

Meditação em áudio:

Quer outro idioma?